Nossa Missão

Estamos há 30 anos no mercado, ministrando cursos presencial, agora estamos ONLINE para todo o território nacional.

Nosso foco é o aperfeiçoamento dos Profissionais que atuam na Indústria de Plásticos e Borracha.

ABTB-d748d435-4871aa83-1920w.png

                                                                                                              Apoio e Divulgação       

bigstock-Group-Of-Businesspeople-Having-305183425-960x540.jpg

                                               Investimento por Participante é de 550 reais, com exceção ao curso nº 19

 

    Veja os 22 Cursos de Borracha que estamo disponibilizamos.  

 

                                                   Formulário de Inscrição nos Cursos de Borracha 

Valor do Curso por Participante 

550,00 reais

Dê um UP Grade.jpg
images.jpg

                                                                       

                                                                         Veja os Títulos e Contéudos dos Cursos

                                                                   

                                                 Cursos de Borracha para Iniciantes

 

                                                 Intodução a Tecnologia da Borracha  -  número 10

                                                 Iniciação a Tecnologia da Borracha para Vulcanizadores de Correias - número 22

                                                 Introdução a Tecnologia do Látex  -  número 16

                                                  Adesão Borracha - Metal I -  número 14

                                                                     

                                                 Cursos para Áreas de Processamento - Moldagens por Prensagem, Injeção e Extrusão

 

         Fabricação de Artefatos de Borracha por Compressão  - número 04 

  Fabricação de Artefatos de Borracha por Extrusão - número 05

Fabricação de Artefatos de Borracha por Injeção  - número 12

 

                                                 Cursos de Fabricação de Compostos e Controles

 

                                                 Técnicas Operacionais de Mistura em Cilindro e em Banbury - número 06

                                                 Fabricação de Compostos de Borracha - número 01

                                                 Ensaios Físicos e Químicos em Compostos e Artefatos - número 17

                                                 Reometria - Interpretações de Curvas Reométrias e Diagnóstico de Curvas - número 21

                                                

                                                 Cursos de Fabricação de Artefatos de Borracha

                                                 

                                                  Fabricação de Revestimento de Cilindros  - número 02

                                                 Fabricação de Moldes de Compressão  - número 07

                                                 Fabricação de Correias Transportadoras - número 08

                                                 Fabricação de Vedações de Borracha - número 03

                                                 Adesão Borracha-Metal II -  número 15

                                                 Fabricação de Mangueiras de Borracha - número 09 

 

                                                 Cursos de Capacitação Áreas: Adm, Processos, Produtos

 

                                                 Tecnologia da Borracha para Vendedores e Compradores - número 13

                                                 Gerenciamento em Indústria da Borracha  - número 20

                                                 Capacitação de Encarregados de Produção em Moldagens de Borracha - número 18

                                                 Formação de Formuladores de Compostos de Borracha  - número 19

                                                 Desenvolvimento de Artefatos Moldados por Compressão  - número 11

 

                                                                                                                                                 

MISSÃO

 Levar conhecimento sobre Borracha a Todo o Brasil.

 

VISÃO

Dar Up-Grade na Carreira aos Profissionais das

Indústrias de  Borracha

VALORES

Manter a mesma qualidade do ensino presencial na modalidade ONLINE.

  

Conteúdo 01 - Curso de Fabricação de Compostos de Borracha  

 

1. Introdução

Qualificação da mão de obra;

Investimentos;

Padronização das operações de mistura;

Controles;

2.   Fluxograma das Etapas Principais na Produção de Artefatos de Borracha

A Importância do Setor de Mistura na produção e na qualidade dos produtos  produzidos.

3.   Processamento da Borracha Natural e Sintética em Misturador Aberto (cilindro) e em Banbury

Variáveis que afetam a Viscosidade do composto;

Medidas de Viscosidades Mooney;

Processamento em Misturador Aberto / Cilindro

Mastigação Incorreta e a sua influência nos compostos durante os processos de moldagem por Prensagem, Extrusão e Injeção.

4. Variáveis em relação a construção de cilindros, e sua Influência sobre a Viscosidade da Massa.

5. Influência da quantidade de massa incorporada no cilindro sobre a viscosidade do composto (Viscosidade Mooney)

6. Banbury

Partes que compõem Banbury;

Funcionalidade;

Técnicas de Mistura em Banbury;

Fatores que afetam o rendimento e a qualidade da mistura no Banbury

Cálculo da carga ótima do Banbury;

Métodos para controle do ciclo de mistura;

Exemplo de Ciclo de Mistura em Banbury;

Vantagens e desvantagens na aceleração em Banbury.

7. Manutenção do Banbury

Fatores que contribuem para o desgaste excessivo do Banbury

8. Funções das Matérias-Primas; Químicas e Físicas na Formulação de Compostos.

9. Consequências das alterações do tipo e quantidade de matérias- primas sobre a viscosidade do composto e nas condições de moldagem;

Elastômeros;

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico ( Estearina);

Lubrificantes; Aceleradores;

Enxofre e Doadores de Enxofre;

Óxido de Cálcio.

10. Controle de Qualidade de Compostos

Controles de qualidade das Misturas

Funcionalidade do Reômetro;

Avaliação de Curvas Reométricas

Problemas e Soluções na Fabricação de Compostos

Pesagens Incorretas;

Problemas e Solução

Conteúdo 02 - Revestimento de Cilindros em Borracha  

 

1. Introdução;

2. Evolução na Fabricação de Revestimento de Cilindros de Borracha;

3. Fluxograma das Etapas de Fabricação de Cilindro de  Revestimento

4. Borrachas Comum para Uso em Revestimento de Cilindros;                        

5. Borrachas Especiais para Usos em Revestimento de Cilindros;

6  Aditivos e Suas Funções;                  

Agentes de Vulcanização    

Aceleradores

Ativadores   

Antioxidantes   

Cargas 

Cargas Reforçadoras Brancas 

Negro de Fumo        

Óleos (plastificantes), Resistência Química e aplicação

 7. Consequências das alterações do tipo e quantidade de aditivos sobre a viscosidademoldagem e      propriedades físicas;

8. Fabricação de Compostos de Borracha Curva Reomêtrica  e Determinação da Viscosidade                           Mooney                                                                                     

                  9.  Desenvolvimento de Composto para Revestimento de Cilindro

        10.   Ensaios Físicos e Químicos

                  11.  Sistemas de Classificação de Materiais Elastoméricos ASTM 2000

                  12.  Seleção dos Matérias-primas, Propriedades Físicas e Formulações

                  13.  Formulações básicas para várias aplicações:

Cilindro para Alta Resistência à Abrasão;

Cilindro para Impressão;

Cilindro Têxtil para Altas Temperaturas;

Cilindro para o processamento de Materiais Aquecidos;

Cilindro Alta Resistentes a Solventes e a Óleos.

14. Preparação do Núcleo e aditivos de ligação metal- borracha                        

15. Processo de Revestimento de Cilindros de Borracha   

16. Enfaixe                                                                                                                 

17. Vulcanização em Autoclave                                                                               

18. Problemas e Soluções no Revestimentos de cilindros                                  

 

Conteúdo 3 - Fabricação de Vedações de Borracha

1.

1.  Evolução na Fabricação de Vedações de Borracha                                    

2.  Introdução a Fabricação de   de Borracha

3. Borrachas Comum para Usos em Vedações e Suas Propriedade

Borracha Natural;

Borracha SBR.

Borracha BR

Borracha EPDM

4.  Borrachas Especiais para Usos em Vedações e Suas Propriedades Físicas e Químicas

Borracha Nitrílica (NBR)

Borracha Nitrílica Hidrogenada (HNBR)

Borracha Cloropreno (CR)

Borracha Fluorada (FKM)

Siliconas(Silicone 

5.  Aplicações

Resistencia à temperatura de Serviço

Designação ASTM D 2000 ou SAE J 200

Aplicação - uso recomendado e especificação Contraçã 

6. Aditivos e Suas Funções

 Agentes de Vulcanização

 Aceleradores

 Antioxidantes

 Modificadores de Fluxo

 Cargas Minerais

 Negro de Fumo

 Plastificiantes e suas propriedade

7. Fabricação de Compostos de Borracha

              Aceleração de Massa, Manuseio e Armazenamento de Compostos Acelerados

8. Desenvolvimento de Composto para Vedações

  Ensaios Físicos e Químicos, resistência a Solventes e Óleos.

  Curvas Reométrica;

  Medida de Viscosidade M

9.  Sistemas de Classificação de Materiais Elastoméricos Norma ASTM 20

10. Características das Vedações e de Moldagem

Moldes para moldagem convencional por compressão;

Moldes para moldagem por transferência;

Moldes para moldagem por injeçã

11. Construção de Molde 

12. Definição do Processo de Moldagem

Compressão, Transferência e Injeção;

Seleção do Tipo de Moldage

13. Processos de Moldagem

Pré-moldados;

Carregamentos;

Moldagem;

Desmoldantes;

14. Plano de Fabricação e Controle de Moldagem   

Set-Up;

Ferramentas de Trabalho;

Parâmetros de Processo;

Inspeção do Produto

15. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

Papel do Operador detectar anormalidades no molde;

Manutenção de Moldes;

Set-Up de Moldes e Armazenamento de Moldes

16. Problemas e Soluções Moldagem de Peças por Compressão

 

Conteúdo 04 - Fabricação de Artefatos de Borracha por Compressão

 

1. Introdução 

Principais Etapas na Produção de Artefatos de Borracha

Fluxograma de Apoio a Produção de Artefatos Moldados por Compressão.

 2. Projeto de Moldes

 Dimensões de Peças

  Tolerâncias dimensional

3.Tipo de Moldes Segundo Processo Construtiva

4.  Tipo de Moldes Segundo o Número de Placa

5.  Operacionalidade de moldes nas prensas

6. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

7. Papel do Operador detectar anormalidades nos moldes

Inspeções e operações de manutenção

Set-Up de Moldes e Armazenamento de Molde

8. Tipos de Prensas e Sua Funcionalidade

Características técnicas de prensas de vulcanização

Funcionalidade de uma Prensa

Força de fechamento

Pressão de moldagem

 Aparelhagem de controle dos processos de moldagens em prensa

9.  Plano de Fabricação e Controle das moldagens

Set-Up, sequencial

Fabricação do Compostos e do Pré-moldado

Molde

Pressão de Moldagem

Componentes e auxiliares

Ferramentas de Trabalho e Mesa de trabalho

10. Processo de moldagem

Carregamentos do molde

 Formas alternativas de pré-formação

Purgas também chamado desgaseificação número e duração

Agentes de desmoldagem

11. Construção de Moldes

12. Definição do Processo de Moldagem

Compressão, Transferência e Injeção;

Seleção do Tipo de Moldagem

13. Processos de Moldagem

Conformação em Pré-formado-Barwell

Formas Alternativas de Pré-formado

Desmoldantes;

Carregamentos;

Purgas também chamado desgaseificação número e duração

Moldagem;

Extração

14. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

Papel do Operador detectar anormalidades no molde;

Manutenção de Moldes;

Set-Up de Moldes e Armazenamento de Moldes

15.Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem

Elastômero Natural (NR)

Elastômero SBR

Elastômero EPDM

Elastômero Neoprene

Elastômeros de NBR (Nitrilica)

Elastômeros de Silicone

Viton

16. Fabricação do Composto

17. Controle de Qualidade

18. Problemas e Soluções Moldagem de Peças por Compressão

 

Conteúdo 05 - Fabricação de Artefatos de Borracha por Extrusão

 

1. Introdução 

2.Principais Etapas na Produção de Artefatos de Borracha        

3. Borrachas, Aplicações, Características das Misturas e de Moldagem

Borracha Natural

Elastômero SBR

Elastômero EPDM

Elastômero Neoprene

Elastômeros de NBR (Nitrilica)

Elastômeros de Silicone

Viton 

4.Materias-Primas, Compostos e suas influências na Extrusão

Elastômeros;

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes;     Aceleradores;

Enxofre e Doadores de Enxofre;

Óxido de Cálcio. 

5. Fabricação de Compostos e Manuseio 

6. Resfriamento e armazenamento de Compostos

7. Ensaios de Controle de Qualidade das Mistura

Curvas Reométricas

Medidas de Viscosidade Mooney

Características das Misturas através das Curvas reométricas.

8. Extrusoras

Descrição do Equipamento

Cabeçotes de Extrusão

Características Técnicas

Extrusora de alimentação a quente;

Extrusora de alimentação a frio;

Extrusora com zona de desgaseificação;

Vulcanização contínua

9. As principais características definidoras de uma extrusora

Extrusoras de alimentação a frio, sem e com desgasificação

Extrusoras de alimentação a quente

Seleção Relativa ao Tipo do Elastômero, Diâmetro da Rosca e a Relação L/D

10. Atualização tecnológica das extrusoras

Vulcanização Contínua

Túnel de Ar quente

Aquecimento do ar

Aquecimento por Óleo Térmico

Micro-ondas (UHF)

11. Micro-ondas (UHF)

12. Comparativo dos principais sistemas de vulcanização contínua

13. Preparação de Máquina Extrusora

Ficha Técnica Extrusão

Redução do Tempo do Set-Up

14. Set-Up

Setup Interno

Setup Externo

15. Perfis de temperatura utilizados na extrusão de alguns tipos de borrachas

16. Matrizes (fieiras)

17. Extrusão de Compostos de EPDM

Inchamento do extrudado

Fatura do Fundido

Rugosidade

Variabilidade dos compostos

Estabilidade Dimensional

Pré-vulcanização

Aspecto superficial rugoso

Porosidade no extrudado (aplicável a extrusoras com zona de desgasificação)

 

Contéudo 06 - Técnicas Operacionais de Mistura em Cilindro e em Banbury

c

1. Introdução-

2. Fluxograma das Etapas Principais na Produção de Artefatos de Borracha

3. Recebimento, Estocagem e Armazenamento de Matérias-Primas

4. Organização do Setor de Recebimento.

5. Manuseio de Matérias-Primas nos Setores de Estocagem

6. Armazenamento de Matérias-Primas suscetíveis de degradação;

7. Organização da Sala de Pesagem

8. Armazenamento das matérias-primas na sala de pesagem

9. Matérias-primas em forma de pó

10.Matérias-primas líquidas

11.Ferramentas de Trabalho na Sala de Pesagem

12. Pesagens automatizadas e Pesagens automatizadas

 13. Borrachas, Aplicações , Características das Misturas e de Moldagem

 Borracha Natural

 Elastômero SBR

 Elastômero EPDM

 Elastômero Neoprene

 Elastômeros de NBR (Nitrilica)

 Elastômeros de Silicone

 Elastômeros FKM(Viton)

14. Consequências das alterações do tipo e quantidade de matérias-primas sobre a viscosidade do composto e nas condições de moldagem;

Elastômeros;

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes;Aceleradores;

Enxofre e Doadores de Enxofre;

Óxido de Cálcio.

15. Introdução a Operação de Mistura

Fabricação de Compostos e Manuseio

Processamento em Misturador Aberto / Cilindro

Variáveis em relação a estes cilindros, e sua Influência sobre a Viscosidade da Massa.

Processamento da Borracha Natural e Sintética em Misturador Aberto (cilindro) e em Banbury

Técnica de Mistura em Banbury, Homogeinização e Aceleração

Controle da qualidade da Mistura, Armazenamento e Manuseio de Compostos

Ensaios de Controle de Qualidade das Mistura

Curvas Reometricas

Medidas de Viscosidade Mooney

Características das Misturas através das Curvas reometricas.

Procedimentos que o Bamburista deve seguir com relação ao equipamento.

Limpeza da Máquina e Segurança

16. Problemas e Soluções com relação as massas;

 

Conteúdo 07 - Fabricação de Moldes de Compressão de Borracha

 

1.  Introdução

       Aspectos Técnicos

       Econômicos

2.   Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem

3.   Projeto de Moldes

      Dimensões de Peças

      Tolerâncias dimensionais

4. Tipo de Moldes Segundo Processo Construtivo

5. Tipo de Moldes Segundo o Número de Placas

6. Operacionalidade de moldes nas prensas

7. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

8. Papel do Operador detectar anormalidades no molde

    Inspeções e operações de manutenção

    Set-up de Moldes e Armazenamento de Moldes

9. Tipos de Prensas e Sua Funcionalidade

    Características técnicas de prensas de vulcanização

    Funcionalidade de uma Prensa

    Força de fechamento

    Pressão de moldagem

    Aparelhagem de controle dos processos de moldagens em prensas

10.Plano de Fabricação e Controle das moldagens

      Set-up sequencial

      Fabricação do Compostos e do Pré-moldado

      Molde

      Pressão de Moldagem

     Componentes e auxiliares

     Ferramentas de Trabalho e Mesa de trabalho

11. Processo de moldagem

      Pré-Formados

      Formas alternativas de pré-formação

      Agentes de desmoldagem

      Carregamento

      Purgas também chamado desgaseificação número e duração

      Moldagem

      Extração

12. Construção de Moldes

13. Definição do Processo de Moldagem

      Compressão, Transferência e Injeção;

      Seleção do Tipo de Moldagem

14. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

      Papel do Operador detectar anormalidades no molde;

      Manutenção de Moldes;

     Set-up de Moldes e Armazenamento de Moldes

15.Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem

    Elastômero SBR

    Elastômero EPDM

    Elastômero Neoprene

    Elastômeros de NBR (Nitrilica)

    Elastômeros de Silicone

    Viton

16. Fabricação do Composto

17. Controle de Qualidade

18. Conformação em Pré-formado-Barwell

19. Problemas e Soluções Moldagem de Peças por Compressão

 

Conteúdo 08 - Fabricação de Correias Transportadoras

 

1.Introdução- 

2.Fluxograma das Etapas Principais na Produção de Artefatos de Borracha. 

3Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem.

Borracha Natural

Elastômero SBR

Elastômero EPDM

Elastômero Neoprene

Elastômeros de NBR (Nitrilica)

Elastômeros de Silicone

4. Processamento da Borracha Natural e Sintética em Misturador Aberto

(cilindro) e em Banbury.

Variáveis que afetam a Viscosidade do composto;

Medidas de Viscosidades Mooney;

Processamento em Misturador Aberto / Cilindro

Mastigação Incorreta e a sua influência nos compostos durante os processos de Laminação e prensagem. 

5. Aditivos e Suas Funções.

Elastômeros;

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes;    

Aceleradores;

Enxofre e Doadores de Enxofre;

Óxido de Cálcio.

6. Influência da quantidade de massa incorporada no cilindro sobre a viscosidade do composto (Viscosidade Mooney).

7. Fabricação de Compostos e Manuseio.

Equipamento Banbury – Misturador fechado

Equipamento – Misturador Aberto

Resfriamento e armazenamento de Compostos

8. Ensaios de Controle de Qualidade das Mistura.

Curvas Reométricas

Medidas de Viscosidade Mooney

Características das Misturas através das Curvas reometricas.

9. Correias Transportadoras e a Sua Constituição

10. Classificação das Correias Transportadoras.

Tipo de Correias

Tipo de Aplicação

Quanto à Forma que Opera

Tipo de Borracha de Revestimento

Tipos de Materiais de Reforço

Características dos Materiais de Reforço quanto as propriedades físicas.

11. Fabricação de Correias Transportadoras Borrachas (componentes)

Revestimentos;

Ligação;

Acolchoamento;

Orlas;

Nervuras, travessas ou bordos de contenção. 

12. Processo de Calandragem

Calandragem de Borracha para Revestimento de Correias

Linha de Calandragem de Telas

Processo de Construção

Construção da Carcaça para Correia Transportadora

Construção da Correia Transportadora (Aplicação de revestimentos e orlas)

13. Ensaio de Correias Transportadoras

14. Controle de Qualidade de Compostos

Ensaios das características dimensionais

Ensaios de características físicas, químicas e desgaste em serviço.

Ensaios de características funcionais:

15. Vulcanização

O desenvolvimento de uma Composição (formulação)

16. Ensaios no Material Vulcanizado

17. Problemas e Soluções Moldagem de Correias Transportadoras

 

Conteúdo 09 - Fabricação de Mangueiras de Borracha

 

1.Introdução

2.Fluxograma das Etapas Principais na Produção de Artefatos de Borracha

3.  Borrachas Natural e Suas Propriedades

4. Processamento da Borracha Natural na Indústria

Determinação da Viscosidade Mooney

5. Borrachas Sintéticas, Propriedades e Aplicações

Elastômero SBR

Elastômero EPDM

Elastômero Neoprene

Elastômeros de NBR (Nitrilica)

Elastômeros de Silicone

6. Aditivos e Suas Funções.

Elastômeros;

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Antioxidantes

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes;    

Aceleradores;

Enxofre e Doadores de Enxofre;

Óxido de Cálcio.

7. Matérias-Primas e as Alterações nos Processos de Moldagem e na Qualidade

8. Fabricação de Compostos e Manuseio.

Equipamento Banbury – Misturador fechado

Equipamento – Misturador Aberto

Resfriamento e armazenamento de Compostos

9. Ensaios de Controle de Qualidade das Mistura.

Curvas Reométricas

Medidas de Viscosidade Mooney

Características das Misturas através das Curvas reométricas.

10. Vulcanização

11.Ensaios no Material Vulcanizado

12.Extrusoras de Borracha

Descrição do Equipamento

Extrusora de alimentação a quente;

Extrusora de alimentação a frio;

Extrusora com zona de desgaseificação;

Seleção Relativa ao Tipo do Elastômero, Diâmetro da Rosca e a Relação L/D

Atualização tecnológica das extrusoras 

13.  Extrusão de EPDM

Viscosidade do EPDM(s)

Composições de EPDM

14.  Fabricação de Mangueiras

Principais Processo de Fabricação de Mangueiras

Constituição de uma Mangueira

Características das Mangueiras

Classificação das mangueiras de acordo com a pressão de serviço.

15.O Processo de Fabricação de Mangueiras para Radiadores Auto (Shapped Hoses)

16. Vulcanização em Autoclave

 

Conteúdo 10 - Introdução a Tecnologia da Borracha

 

1.Introdução

Fluxograma das Etapas Principais na Produção de Artefato Borracha

2. Borracha Natural

3. Processamento da Borracha Natural na Indústria.                   

4. Principais variáveis que afetam a viscosidade da Borracha Natural.                                                                               

5. Mastigação Incorreta e a sua influência nos compostos durante os processos de moldagem por Prensagem, Extrusão e Injeção.

6. Mastigação da Borracha em cilindro e em Banbury.

Determinação da Viscosidade Mooney

7. Borrachas Natural e Suas Propriedades

8.  Borrachas Sintéticas Comum:   

 SBR, EPM, EPDM, BR, NBR           

Obtenção de Borrachas Sintéticas

Características de processamento

propriedades físicas e Aplicações

9. Borrachas Sintéticas Especiais:

 Butílica IIR , Neoprene (CR) ,  FKM (Viton) , HNBR, Silicone.

Obtenção de Borrachas Sintéticas

Características de processamento

propriedades físicas e Aplicações 

10. Aditivos, obtenção, características físicas- químicas, função na formulação e suas influências nas propriedades do vulcanizado.

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Antioxidantes

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes;    

Aceleradores;

Enxofre e Doadores de Enxofre;

Óxido de Cálcio.

11. Consequências das alterações do tipo e quantidade de aditivos sobre a viscosidade e condições de moldagem dos compostos.

12.Fluxograma das Etapas de Fabricação de Compostos:

Mistura,

Aceleração

Resfriamento

Armazenamento

Manuseio

13. Fabricação de Compostos – Pesagens e Misturas

Equipamento Banbury – Misturador fechado

Equipamento – Misturador Aberto 

14. Vulcanização

15 . Ensaios de Controle de Qualidade das Misturas.

Curvas Reometricas

Medidas de Viscosidade Mooney

Características das Misturas através das Curvas reometricas.

16.  Vulcanização

17.Ensaios no Material Vulcanizado.

Resistência à tração a Ruptura

Alongamento a Ruptura

Modulo de Elasticidade

 Resistência à Abrasão

 Resistência ao Rasgo, ao Ozônio

 Resistência a Flexão,

Deformação Permanente por Compressão

 Dureza

 

 

Conteúdo 11 -Desenvolvimento de Artefatos de Borracha Prensados

 

1.Introdução

Principais Etapas na Produção de Artefatos de Borracha.

Fabricação de Compostos

2.Recebimento, Estocagem e Armazenamento de Matérias-Primas.

3.Sala de Pesagem

4.Processamento em Misturador Aberto / Cilindro

Processamento da Borracha Natural

5.Técnica de Mistura em Banbury, Homogeneização e Aceleração

6. Aceleração de Massa, Manuseio e Armazenamento de Compostos Acelerados.

7. Controle de Qualidade de Compostos

Reômetro

Avaliação de Curvas e suas interpretações.

Viscosidade Mooney

8.  Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem

Elastômero SBR

Elastômero BR

Elastômero EPDM

Elastômero Neoprene

Elastômeros de NBR (Nitrilica)

Elastômeros de Silicone

Elastômero FKM(Viton)

9. Projeto de Moldes

10. Tipo de Moldes Segundo Processo Construtivo

11. Tipo de Moldes Segundo o Número de Placas

12 Fabricação de Moldes

13. Definição do Processo de Moldagem

Compressão, Transferência e Injeção;

Seleção do Tipo de Moldagem

14. Fabricação de Moldes

15. Características técnicas de prensas de vulcanização e Controles de Processo de Moldagem Prensas.

Funcionalidade de uma Prensa

Força de fechamento

Pressão de moldagem

Aparelhagem de controle dos processos de moldagens em prensas

16.Carga do molde, formas alternativas de pré-formação

Pré-moldadora

Purgas também número e duração

Desmoldantes

Extração 

17.  Plano de Fabricação e Controle das moldagens

Set-Up sequencial

Fabricação do Compostos e do Pré-moldado

Molde

Pressão de Moldagem

Componentes e auxiliares

Ferramentas de Trabalho e Mesa de trabalho 

18. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

19. Papel do Operador detectar anormalidades no molde

Inspeções e operações de manutenção

Set-Up de Moldes

Armazenamento de Moldes

20. Construção de Moldes

21. Processos de Moldagem

Pré-moldados;

Carregamentos;

Moldagem;

Desmoldantes;

Extração;

22. Ferramentaria – Processos de Limpeza de Moldes

Papel do Operador detectar anormalidades no molde;

Manutenção de Moldes;

Set-Up de Moldes e Armazenamento de Moldes

23. Problemas e Soluções Moldagem de Peças por Compressão

24. Controle de Qualidade do Processo e Produto

Ensaios Físicos e Químicos

 

Conteúdo 12 - Fabricação de Artefatos de Borracha Moldados por Injeção

 

1.Introdução

Principais Etapas na Produção de Artefatos de Borracha

2.Recebimento, Estocagem e Armazenamento de Matérias-Primas.

3.Fabricação de Compostos e Manuseio

4. Matérias-Primas e Suas Influências nos Processos de  Injeção e Extrusão e nas Propriedades

Elastômeros;

 Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes;     Aceleradores;

 Enxofre e Doadores de Enxofre;

 Óxido de Cálcio.

 5.Processamento em Misturador Aberto / Cilindro

Processamento da Borracha Natura 

 6.Técnica de Mistura em Banbury, Homogeneização e Aceleração

 7. Aceleração de Massa, Manuseio e Armazenamento de Compostos Acelerados. 

8. Controle de Qualidade de Compostos

Reômetro

Avaliação de Curvas e suas interpretações.

Viscosidade Mooney

9.  Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem

Elastômero SBR

Elastômero BR

Elastômero EPDM

Elastômero Neoprene

Elastômeros de NBR (Nitrilica)

Elastômeros de Silicone

Fluoroelastômeros (Viton)

10. Definição do Processo de Moldagem

Compressão, Transferência e Injeção;

Seleção do Tipo de Moldagem

11. Fabricação de Moldes

Concepção do Molde

Geometria e Dimensões dos Canais de Alimentação

Tipos de Canal de Injeção

Canal frio

Forma, Dimensões e Tolerâncias

Acabamento Superficial

Rebarbas

Extratores 

12. Moldagem e Vulcanização pelo Processo de Injeção

Partes do Molde, Processo de moldagem por injeção

Viscosidade do composto de borracha

Curva reometrica típica e parâmetros de vulcanização 

13. Partes da Injetoras

Injetora Horizontal

Injetora Vertical

14.Variáveis de Processo de Injeção

15.Parâmetros para Regulagem injetora Vertical e Vertical

Unidade de Fechamento/ Abertura

Proteção do Molde e do operador

Regulagens das demais variáveis do processo

16.Defeitos usuais em peças moldadas por injeção e suas causas

17. Controle de Qualidade do Processo e Produto

Ensaios Físicos e Químicos

 

Conteúdo 13 - Tecnologia da Borracha para Vendedores e Compradores

 

1. Competitividade                                                                                                          

2. Planejamento: Vendas, Compras e Produção                                                          

3. Etapas de Produção de Artefatos de Borracha                                                        

4. Processo Macro de Desenvolvimento de Um Artefato de Borracha.                     

5. Principais Variáveis que Afetam os Custos dos Artefatos                                     

6. Borrachas, Aplicações e Características de Moldagem                                          

7. Características dos Artefatos a Ser Produzidos                                                       

8. Definição do Processo de Moldagem   

9. Como Elaborar a Cotação de um Desenvolvimento

10. Elaboração do Custo da Formulação 

11. Processo de Compressão 

12. Set-up do Processo de Compressão  

13. Custo do Processo de Compressão                                                                                                                       

14. Processo de Injeção                                                                                                    

15. Processo de Extrusão                                                                                                  

16. Set-up do Processo de Extrusão 

17. Custo do Processo de Extrusão                                                                  

18. Ensaios Físicos e Químicos em Borracha                                                                                       

19. Sistemas de Classificação de Materiais Elastoméricos

      ASTM 2000                                                                                                          

  

Conteúdo 14 - Adesão Borracha-Metal I

 

1.  Adesivo Borracha - Metal

2.  Adesão e Aderência

Tipos de Adesivos 

3.  Etapas Fundamentais para Garantir a Qualidade da Adesão Borracha-Metal

Tratamento do Metal

Desenho da Peça e Molde

Treinamento Técnico

Formulação do Composto

Tipos de Desengraxe

Tratamento Químico

4.   Teoria da Adesão Borracha-Metal   

Sistema Adesivo

Primer  

Adesivo

Adesivo Camada Única Aplicação do Adesivos

Formas de Aplicação dos Adesivos

5. Controle de Qualidade de Adesivos

Peso específico (g/cm3);

Viscosidade Brookfield (cps);

Viscosidade Ford n°4(s);

Determinação Teor de sólidos (%) - Norma ABNT   --   NBR 8877

Viscosidade Zahn n° 2(s)

Comportamento do Adesivo durante a aplicação sobre o substrato.

6.  Preparação do Composto de Borracha

Aditivos da formulação que influência na Adesão

Manuseio do Composto

7. Classificação das Falhas de Adesão

Testes de Adesão - ASTM D-429 Método B

Análise da Falha de Adesão

Uso de desmoldantes

8. Generalidades – Práticas

Efeitos da Cura sobre Adesão

Importância do controle do Tratamento do Metal

Controle na aplicação de adesivos

Acabamento

Conteúdo 15 - Adesão Borracha – Metal II

 

1.Histórico, Desenvolvimento dos Adesivo

2. Adesivo Borracha – Metal

3.Adesão e Aderência 

4.Adesivos

Parâmetros necessários de um bom adesivo 

5.Controle de Qualidade de Adesivos

Peso específico (g/cm3);

Viscosidade Brookfield (cps);

Viscosidade Ford n°4(s);

Determinação Teor de sólidos (%) - Norma ABNT   --   NBR 8877

Viscosidade Zahn n° 2(s)

Comportamento do Adesivo durante a aplicação sobre o substrato.

6. Etapas Fundamentais para Garantir a Qualidade da Adesão Borracha  Metal

Tratamento do Metal

Treinamento Técnico

Desenho da Peça e Molde

Formulação do Composto

7.  Tratamento Superficial do Metal

Desengraxes

Tratamento Mecânico

Jateamento

8.1Tratamento Quimico

Alumínio - Anodização

Cobre - Persulfato de Âmonio

Aço Inoxidável - Bicromato de Sódio ou Ácido Fosfórico.

Teflon Sódio Metálico/Naftaleno

Aço-Fosfatização/ Bicromatização/KTL

9. Teoria da Adesão Borracha-Metal

Sistema Adesivo

Primer

Adesivo

Adesivo Camada Único 

10.   Aplicação do Adesivos

Formas de Aplicação dos Adesivos

Prooblemas e Soluções na Aplicação de Adesivos

Controle de qualidade das aplicações

11.  Classificação das Falhas de Adesão

Testes de Adesão - ASTM D-429 Método B

Análise da Falha de Adesão

12.  6. Desenvolvimento de Formulação para Adesão Borracha-Metal

Formulação de Borracha e suas  Influência no Processo de Moldagem

Aditivos da Formulação que Interferem na Adesão da Borracha ao Metal

Resistência Quimica Borracha, Adesivo.

Preparação do Composto de Borracha

Curva Reometrica e Viscosidade Mooney

Uso de desmoldantes

8. Generalidades – Práticas

Efeitos da Cura sobre Adesão

Importância do controle do Tratamento do Metal

Controle na aplicação de adesivos

Acabamento

13. Acabamentos.

 

Contéudo 16 - Introdução a Tecnologia do Látex

 

1. Introdução ao Látex Natura

2.  Colheita do Látex

Composição Química do Látex

3.  Introdução ao Estudo do Látex   

Tipo de polímero;

Concentração do polímero;

A partícula;

Meio dispersante;

Superfície das fases.

4.  Classificação dos Látices                                                               

5. Função dos Ingredientes para Composições de Látex

Modificadores da Fase Elastomérica

Agentes de vulcanização

Acelerantes

Ativadores

Antioxidantes

Cargas

Pigmentos

Plastificantes

Odorantes

Antichamas

Desmoldantes

6.  Composições do Látex e Formulações  

Tamanho das partículas de látex

Carga elétrica

Tensos - ativos adsorvido

Teor de sólidos

PH (potencial de hidrogênio)

Viscosidade

Estrutura de uma composição de látex

Preparo de Composições

7.  Processo de Fabricação de Luvas por imersão

 

       Conteúdo 17 - Ensaios Físicos e Químicos em Compostos e Artefatos de Borracha

 

1.Introdução a Normalização

Classificação dos Ensaios na Indústria de Borracha

Normalização dos Ensaios

2. Controle de Qualidade de Matérias-Primas

Reómetro- Interpretações da curva

Medidas de Viscosidade Mooney

3. Controle de Qualidade de Compostos

Aceleração de Massa, Manuseio e Armazenamento de Compostos

Controle de Qualidade das Misturas

4. Ensaios no Material Vulcanizado

Comportamento das Propriedades Mecânicas em função da Reticulação (Cura)

Metodologias para Obtenção de Corpos de prova no Laboratório

Resistência a Tração, Alongamento e Módulo ASTM D 412, DIN 53504 , NBR 7562  

Módulo de Elasticidade- interpretação

Método de Resistência ao Rasgo  ASTM 624

Método de Determinação de Dureza  ASTM 2240

Método de Determinação de Microdureza  ASTM D1415

Método de Determinação de Abrasão DIN 53516

Método de Determinação de Densidade ASTM D D297-15

Método de Deformação Permanente á Compressão ASTM 395

Método de Determinação de Resiliência DIN 53512

Determinação de Contração na Borracha ASTM D955

Instrução de Trabalho- Determinação Prática da Contração

Determinação da Resistência ao Ar, Oxigênio, Ozônio e Intempéries

Determinação da Resistência à Fadiga por Flexão Dinâmica ASTM D 430

Método de Determinação em Ar  (Estufa) ASTM D573  -   ASTM D 2000 

5.  Fundamentos da Resistência Química dos Elastômeros

6. Ensaios de Determinação da Resistência Química, Óleos, Solventes, etc.

Variação em peso sofrida pelo corpo de prova ou peça, em (%);

Variação da Dureza;

Variação de Tensão de Ruptura;

Variação de Módulo (%);

Variação do alongamento de Ruptura (%);

Variação de Volume (%).

7. Sistemas de Classificação de Materiais Elastoméricos ASTM 2000

 

Conteúdo 18 -Capacitação de Encarregado de  Produção  em Moldagem de Borracha 

 

1. Fluxograma das Etapas Principais na Produção de Artefato de Borracha

2. Introdução à Administração dos Processos, Produção e Qualidade

Abordagem de Múltiplos Fatores à Medição da Produtividade

Produtividade de Mão-de-Obra

3. Fabricação de Compostos de Borracha

Processamento em Misturador Aberto / Cilindro

Processamento da Borracha Natural

Processamento em Misturadores Fechados- Banbury

Manuseio de massas

4. Controle de Qualidade de Matérias-Primas e Compostos

Reômetro

Avaliação de Curva Reometrica

Viscosimetro  Mooney

5. Definição do Processo de Moldagem

Molde para Processo de moldagem por transferência

Molde para processo de moldagem por compressão convencional

6. Prensas, Controles de Processo de Moldagem

Descrição de suas partes

Força de fechamento

Pressão de moldagem- Cálculos

Aparelhagem de controle dos processos de moldagens em prensas

Moldagens e suas etapas

7. Mesa de trabalho

Ferramentas e acessórios de moldagem

Agentes de desmoldagem

8. Pré-Moldado

Formas alternativas de pré-formação

SET-UP

9. Plano de Fabricação e Controle de Moldagem  

Pré-moldado       

Componentes e auxiliares

Ferramentas de Trabalho

Prensa de Compressão

Parâmetros de Processo

Inspeção do Produto

11. Problemas e Soluções Moldagem de Peças por Compressão

Problemas de adesão Borracha -Metal

Falhas no acabamento do artefato de borracha

12. Processo de Injeção

Detalhes do ciclo completo de injeção

Variáveis do Processo de Injeção

O ciclo de Moldagem e a Produtividade

Fechamento/ Abertura

Curso de fechamento

Regulagem dos parâmetros de proteção do molde

13.Parâmetros para Regulagem injetora Vertical

Regulagem

Controle da Dosagem

Controle da Injeção

Controles do Tempo de Injeção

Controle da Unidade de Compressão

14.Defeitos usuais em peças moldadas por Injeção e suas causas

15.Extrusoras, Fusos e seus Controles

Descrição do Equipamento

Características Técnicas

Extrusoras de alimentação a quente

Extrusoras de alimentação a quente

Seleção Relativa ao Tipo do Elastômero, Diâmetro da Rosca e a Relação L/D

Extrusora com zona de desgaseificação

Vulcanização Contínua

Comparativo dos principais sistemas de vulcanização contínua

16. Processo de Extrusão

Set-up

Redução do Tempo do Setup

Instrução de Trabalho (condição de extrusão)

Perfis de temperatura utilizados na extrusão de alguns tipos de borrachas

Matrizes

17.Extrusão de EPDM

Tipos de EPDM

Viscosidade do EPDM(s)

Composições de EPDM

Inchamento do extrudado

Fatura do Fundido

Rugosidade

Variabilidade dos compostos

Estabilidade Dimensional

Porosidade no extrudado (aplicável a extrusoras com zon

 

Conteúdo 19 -  Formação de Formuladores de Compostos de Borracha

 

1. Compostos de Borracha e Sua evolução            

2. Princípios Básicos de Formulação

Exigências do Cliente e do Consumidor (usuário):

Exigências da Empresa que o vai produzir

Sistema elastomérico e subsistemas

Matérias-primas para a fabricação de borracha

3. Introdução à Normalização

Classificação dos Ensaios na Indústria de Borracha

Normalização dos Ensaios

4. Controle de Qualidade de Matérias-Primas e Compostos

Reômetro

Avaliação de Curva Reometrica

Viscosímetro  Mooney

5. Controle de Qualidade de Compostos

Aceleração de Massa, Manuseio e Armazenamento de Compostos Acelerados

6. Moldagem de Compostos em Laboratório para Ensaios Físicos e Químicos

Obtenção dos Corpos de Prova em Laboratório

Confecção de Mistura

Procedimento de Mistura

Confecção de corpos de prova.

7. Ensaios de Resistência a Tração, Alongamento e Módulo ASTM D 412

8. Módulo de Elasticidade

Curva Tensão-Deformação dos Elastômeros Vulcanizados

9. Borracha Natural

Padronização das borrachas naturais brasileiras

Mastigação Incorreta e a sua influência nos compostos durante os processos de moldagem por Prensagem, Extrusão e Injeção.

Borracha mastigação em  misturador  aberto (cilindro)

Redução do Peso Molecular ( viscosidade ) em função do tempo de mastigação.

Propriedades típicas da Borracha Natural (NR)

10. Borracha Sintética

10.1 Elastômero de Estireno-Butadieno– SBR

Propriedades típicas da Borracha de Estireno Butadieno (SBR)

Compatibilidade com outras Borrachas

10.2. Elastômero de Polibutadieno – BR

Compatibilidade com outras Borrachas

Propriedades típicas da borracha de Polibutadieno (BR)

Compatibilidade com outras Borrachas

10.3. Elastômero de Etileno-Propileno – EPDM

Propriedades típicas das borrachas de Etileno Propileno Dieno (EPDM)

Compatibilidade com outras Borrachas

10.4. Elastômero de Policloropreno – CR

Propriedades típicas da Borracha de Policloropreno (CR)

Compatibilidade com outras Borrachas

10.5. Elastômeros de Acrilonitrila-Butadieno – NBR

Influência da Acrilonitrila nas Propriedades Química e Física.

Propriedades típicas das borrachas de Acrilonitrilo Butadieno (NBR)

Compatibilidade com outras Borrachas

10.6 . Elastômero nitrílico hidrogenado- HNBR

10.7. Elastômero- Butílica IIR

Propriedades típicas da Borracha Butílica (IIR)

10.8. Elastômeros de Silicone – MQ

Tempo de serviço de artefatos de Silicone e Flúor Silicone

10.9. Fluoroelastômeros – FKM

Propriedades típicas das borrachas FKM

11. Misturas de Borrachas (blends)

Misturas de borrachas correntemente comumente utilizadas

Influência do Negro de Fumo sobre as Propriedades Físicas

12. Matérias-Primas e Suas Influências na Aceleração

Plastificantes

Sistemas de Vulcanização em misturas de Elastômeros e a influência Cargas

Influência do Negro de Fumo sobre as Propriedades Físicas

influência do tamanho das partículas de NF em sistemas de vulcanização tendendo à eficiente.

13.Determinação Teórica da Dureza em Formulações com Diversos Elastômeros

Tamanhos de partículas de Negro de Fumo e a sua influência para aumentar a dureza

Cargas Inorgânicas e sua influência para aumentar a dureza

Influência do Plastificante na Dureza.

14. Elaboração do Custo de Um Composto (Formulação)

Método Simplificado de Cálculo da Densidade Teórica do Composto e do Custo

15.Fundamentos da Resistência Química dos Elastômeros

Procedimentos para Ensaios de Determinação da Resistência Química em Laboratório

16.Antioxidantes/Antiozonantes/ceras

Tipos, Aplicações, Eficiência e Dosagens

17. Auxiliares de Fluxo

Agentes de Pegajosidade

Factis ou Fátices

18. Inibidores e Retardadores de Vulcanização

Retardadores e sua Funcionalidade

Inibidores e sua Funcionalidade

Diferenças entre Inibidores e Retardadores

19.Aditivos de Cura

Teoria da Vulcanização uso de Enxofre

Mecanismo de Vulcanização com Enxofre

Determinação do tipos de reticulação   ( Cálculos)  em elastômeros insaturados

Vulcanização Convencional

Vulcanização Semi – Eficiente

Ligações Mono-sulfídricas e Di-sulfídricas

Análises de Reticulações em diversas Temperaturas em Formulações  em de Borracha Natural

Variações de Propriedades Físicas e Químicas em função das Reticulações.

20.Escolha do Sistema de Aceleração

Classificação dos Sistemas de Aceleradores

Classificação Primária e Secundária

Sinergismo

Carácter Básico e Ácido

21. Principais Sistemas de Vulcanização

Avaliação de Formulações de Borracha Natural e IR com carga e sem carga.

Variações de Propriedades Físicas

22. Avaliação de Formulações, SBR, BR, CR, NBR, NBR/PVC, EPDM, IIR, Clorobutilica.

Variações de Propriedades Físicas

23. Cura por Peróxido

Mecanismo de Ação dos Peróxidos

Teores de Peróxidos ( PCR )  X Tipo de Polímero

24. Fluorelastômeros (Viton)

Sistemas de Cura

Análise de Formulações

Propriedades Físicas

 

Conteúdo 20 -  Gerenciamento  em Indústria de Borracha

 

1.Fundamentos da Administração

2.Agregando valor de uma Administração das operações de produção e serviço

3.Prioridade competitiva da produção;

4.Planejamento e projeto de processos;

5. Natureza da demanda por produtos / serviços;

6.Grau de integração vertical;

7. Flexibilidade de Produção;

8. Grau de automação;

9. Qualidade do Produto / Serviço;

10. Planejar e controlar operações para obter produtividade;

11. Produtividade e comportamento humano;

12.  Planejar e controlar operações para obter produtividade;

13. Abordagem de múltiplos fatores à medição da produtividade;

14. Produtividade = mão - de - obra;

15. Análise das Etapas de um Fluxograma do Processo Macro - desenvolvimento de um artefato de borracha na Empresa.

Detalhamento das Fases

Cliente (departamento de compras)

Desenvolvimento (laboratório e Engenharia)

Vendas

16. Desenvolvimento de Orings

Ficha de Especificação do Produto a ser produzido,

17. Etapas de Desenvolvimento de Moldes;

18. Projeto do Molde

Detalhes das peças; Dimensões de Peças; Tolerâncias dimensionais;

Contração do molde e do composto moldado;

19. Principais Variáveis que Afetam os Custos dos Artefatos

20. Elaboração do Custo de Um Composto por Volume;

21. Cálculo de um Composto em uma peça Cilíndrica;

22. Variáveis que afetam o desempenho da mistura e o custo de preparação do composto;

23. Matérias-Primas e Suas Influências nas Propriedades Físicas

Elastômero

Plastificantes (Óleos)

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Ácido Esteárico (Estearina);

Lubrificantes; 

AceleradoresEnxofre e Doadores de Enxofre

Óxido de Cálcio;

24. Fabricação de composto em Misturador aberto e em Banbury.

25. Controle de Qualidade de compostos;

26.Consequências das alterações do tipo e quantidade de matérias-primas    sobre a viscosidade nas condições de moldagens e nas propriedades físicas dos artefatos;

27.Prensagem;

28. Prensas convencionais;

29. Compostos de borracha e sua adequação ao processo de moldagem por compressão;

30. Custo de Produção – Processo de Compressão;

31.Plano de Fabricação e Controle moldagem de peças por compressão;

32, Pré-moldadora;

33.Processo de Moldagem por Compressão;

34.Defeitos Usuais em Peças Moldadas por Compressão e Suas Causas;

35.Processo de Moldagem por

36.Variáreis de processo de injeção;

 

Conteúdo 21 - Reometria - Interpretações de Curvas Reómetricas e Diagnósticos de Misturas

 

 

1. Vídeo de Funcionalidade do Reômetro Team.

Treinamento Operacional do Reômetro

Treinamento de Software;

Relatórios de Registros de Ensaios de Curvas.

2. A importância do Uso do Reometro na Indústria da Borracha.

3. A importância do Viscosimetro Mooney na Indústria da borracha.

Funcionalidade.

Ensaios.

Determinações

Viscosímetro Mooney X Reômetro.

4. Iniciação ao conhecimento de Matérias-Primas e suas Funções na Composição da Borracha.

Iniciação a vulcanização

5. Pesagem incorretas de Matérias-Primas e suas alterações nas Curvas Reométricas e nos processos de Moldagem por:

Prensagem,

Extrusão e

Injeção.

6. Erros de Processamento de Misturas em Cilindros Aberto e em Banbury e as alterações as nas Curvas Reometricas e nos processos de Prensagem, Extrusão e Injeção.

6. Interpretações de Curvas, Diagnósticos e Possíveis correções relacionadas com as matérias-primas e aos processos de misturas.

Elastômeros

Plastificantes (Óleos);

Negro de Fumo;

Sílicas;

Caulins;

Óxido de Zinco;

Lubrificantes;

Aceleradores;

Enxofre, Doadores de Enxofre e Peróxido

Outros agentes de vulcanização

7.Processamento da Borracha Natural

8. Problemas e Soluções com relação as massas

 

Conteúdo 22 - Iniciação a Tecnologia da Borracha para Vulcanizador de Correias 

 

1.  Introdução:  Conhecendo as Partes da Correia Transportadora

2.  Matérias- Primas e as Suas Funções em Compostos de Borracha

3.  Os principais elastômeros utilizados, suas Características e Aplicações  

4.  Aditivos e Suas Funções;

Agentes de Vulcanização 

Aceleradores

Ativadores   

Antioxidantes  

Cargas 

Cargas Reforçadoras Brancas

Negro de Fumo  

Óleos (plastificantes

Lubrificantes 

5. Iniciação a Vulcanização

6. Fabricação de Compostos de Borracha para Correias

Equipamentos de Misturas

Controle da Qualidade dos Compostos

Fabricação das lonas - Preparação dos fios

Fabricação das lonas – Formação das lonas

Montagem da correia – Preparação da borracha de ligação

Montagem da correia – Coberturas + lonas

7. Desenvolvimento de Formulação de um Composto para Correia Antichama

Fabricação de Correias Transportadoras

Obtenção dos componentes de Borracha, e sua função na Correia

Revestimentos;

Ligação;

Acolchoamento;

Orlas;

Nervuras, travessas ou bordos de contenção.

Processo de fabricação da correia transportadora composta por cabos de aço

Processo de Construçã

8. Prensagem (vulcanização)

Reparos em Correias Transportadoras

As principais características e vantagens da vulcanização em correias transportadoras

Evolução na Construção de Correias na Identificação de Rasgos em Correias em Movimento

Evolução das Prensas de Vulcanização utilizadas em Emendas

Transporte, Acondicionamentos e Manuseio de Borrachas para Emendas

As condições que mais afetam a borracha de emendas.